Memória Cinematográfica

Menu

Mostra Internacional de Cinema de São Paulo

Mostra 23 outubro 2009

Os cinéfilos de carteirinha já podem se acalmar, pois a espera chegou ao fim. Isso porque começa nesta sexta-feira, dia 23 de outubro, a 33a edição da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. Até 5 de novembro, o evento vai exibir mais de 400 filmes, em 17 diferentes endereços da capital, incluindo o Marabá, em sua primeira edição depois da reforma.

Para começar, a abertura apresentou, na noite de quinta, 22, “À Procura de Eric” (“Looking for Eric”), longa-metragem muito bom de Ken Loach que estreia em circuito nacional dia 6 de novembro. Embora exista a intenção de comemorar o Ano da França no Brasil, não se deve mudar muito a programação da Mostra em relação aos outros anos.

Uma das convidadas especiais será a diva do cinema francês Fanny Ardant, que apresentará seu primeiro filme como realizadora, “Cinzas e Sangue” (“Cendres et Sang”). O público poderá rever alguns clássicos estrelados por ela, como “A Mulher do Lado” e “De Repente, num Domingo”, de François Truffaut; “Crimes de Autor”, de Claude Lelouche; “O Jantar”, de Ettore Scola.

Outra homenagem será feita ao diretor grego Theo Angelopoulos. Seu filme mais recente, “The Dust of Time” (“I Skoni Tou Hronou”), com Willem Dafoe e Michel Picolli, será um dos destaques da programação.

Entre as novidades que poderão ser vistas estão: “A Fita Branca”, de Michael Haneke, vencedor da Palma de Ouro do Festival de Cannes 2009; “Dente Canino”, de Yorgos Lanthimos, vencedor da mostra Un Certain Regard, também em Cannes; “Lebanon”, de Samuel Maoz, ganhador do Leão de Ouro em Veneza, e “London River”, vencedor do Urso de Prata de Melhor Ator (Sotigui Kowjaté) no Festival de Berlim. E ainda há outros: “(500) Dias com Ela”, “O Mundo Imaginário de Dr. Parnassus”, o último longa do qual Heath Ledger (o Curinga de “Batman – O Cavaleiro das Trevas”) participou antes de falecer, no ano passado.

Segundo Renata de Almeida, diretora da Mostra, a grande novidade é o Prêmio Itamaraty, concedido pelo Ministério das Relações Exteriores para as categorias de longa-metragem de ficção (R$ 45 mil), longa-metragem documentário (R$ 30 mil) e curta-metragem (R$ 15 mil). Os filmes brasileiros vão concorrer ao lado dos estrangeiros. “A gente não separa porque acredita que o cinema nacional pode competir com os outros países”, reforça. Todos os filmes produzidos ou coproduzidos no Brasil que integram o festival estão automaticamente inscritos. Uma comissão julgadora, formada pelo Itamaraty e pela Mostra, vai apontar os vencedores.

Ainda que a Mostra pareça maior a cada ano, o criador e idealizador Leon Cakoff afirma que não tem a intenção de crescer. “Temos um limitador natural que é a quantidade de salas de exibição”, sublinha. “A gente tenta diminuir o número de filmes, mas não consegue”, pondera Renata, que lembra que neste ano o evento atingiu recorde em número de inscrições para a Mostra Competitiva, com mais de 700 filmes.

Cartaz
Como todos os anos, foi escolhido um artista para desenvolver o pôster de divulgação da Mostra. Em 2008, por exemplo, a autora foi Tomie Ohtake. Nesta edição, a assinatura leva o nome de Otávio e Gustavo Pandolfo, Os Gêmeos. Leon Cakoff diz que a escolha pelos artistas se deu em função, principalmente, porque a Mostra tem sangue novo, todo ano. “O evento é sempre jovem. Os Gêmeos fazem parte da cidade, estiveram no filme ‘Bem-Vindo a São Paulo’ [do qual é diretor] e a gente está sempre atento”, explica ele durante entrevista coletiva.

Ingressos
Os ingressos já estão à venda na Central da Mostra (avenida Paulista, 2.073, das 10h às 21h). Os preços variam de R$ 7 a R$ 14 (de segunda a quinta) e de R$ 9 a R$ 18 (de sexta a domingo). Pacotes têm preços com desconto. Informações: no site.

Mais Lidas

Veja também