Subscribe via RSS

Noites de Tormenta

03 out 2008

written by Memória Cinematográfica

O pôster do filme traz a foto de Richard Gere e Diane Lane juntos. Só por isso já não se pode esperar muito do longa-metragem “Noites de Tormenta” (“Nights in Rodanhthe”), que estréia nos cinemas nesta sexta, 3 outubro. O fato de não se poder esperar muito nada tem a ver com os atores que, aliás, estão bem na trama, mas sim porque a imagem do casal já antecipa o que vai acontecer após os 15 minutos iniciais da projeção.

O filme, dirigido por George C. Wolfe, dramaturgo de teatro que faz sua estréia no cinema, conta a história de Adrienne (Diane), mãe de dois filhos que, abalada pela traição do marido e após a separação, aproveita a oportunidade para não ficar pensando no passado.

Então, uma amiga (Jean, vivida por Viola Davis) lhe pede ajuda para cuidar de sua pousada, em Rodanthe (daí o nome do filme), enquanto tem outros assuntos para resolver. Longe de todos os problemas e em um lugar pacato (Outer Banks, na Carolina do Norte), Adrienne está lá para atender o único hóspede, já que estão em baixa estação: Paul (Gere). Ele, aliás, é um médico que precisa resolver uma pendência de uma de suas clientes. Antes de viajar, a amiga de Adrienne a avisa sobre os perigos de um furacão, que o serviço meteorológico sempre indica, mas nunca vem.

Eis que aí já se tem toda a trama do longa baseado no romance homônimo escrito por Nicholas Sparks. Como se trata de um romance, ora, já temos parte da história resolvida, ou seja, os personagens principais estão em contato, os avisos do que virá foram dados, só resta ao espectador esperar para conferir como Wolfe dará conta desses elementos para encenar a sua história.

Com fotografia do brasileiro Affonso Beato (de “A Rainha“, “Tudo Sobre Minha Mãe”), o longa tem uma linda locação, pois a pousada está localizada na praia. Suas lentes apontam para essa paisagem ímpar, faz travellings ao ar livre, apresenta o ambiente e os personagens ao público.

A pousada, então, se torna mais um personagem, já que é lá que Diane e Richard passarão boa parte do tempo. Os dois atores atuaram juntos em outros filmes, como “Infidelidade”, em 2001, em cuja história ela faz o papel de esposa traidora. Talvez por conta de trabalhos anteriores os dois tenham uma química que funciona, e ambos parecem à vontade.

Richard Gere, com seu ar de galã e eterno conquistador, usa o seu charme para “dar o bote” em mais uma moça desprevenida. Diane Lane utiliza a sua experiência para viver a mãe de dois adolescentes, incluindo a filha que a detesta, mas também não abre mão de ser feliz e, por que não?, encontrar e viver um novo amor.

Depois de uma hora e dez minutos de projeção, o espectador pode se perguntar o que mais Wolfe trará para a tela, já que tudo parece resolvido e a história “mamão com açúcar” se revela. Com uma guinada, ele coloca mais pimenta na narrativa, o que, para uns, pode tornar a história caricata e piegas; para outros, pode torná-la romântica, trágica, emocionante.

“Noites de Tormenta” é daqueles filmes que começam bem, pecam no meio, e forçam a barra no final, principalmente por utilizar suas artimanhas para envolver o espectador de tal modo que o induz a rir e a chorar em determinado momento pré-concebido. Jogo sujo, mas compreensível.


One Response to Noites de Tormenta

  1. Francisco Castro

    Olá, eu gostei muito do seu blog. Ele é muito bom.Parabéns!Um abraço


Leave a comment

© 2024 Memória Cinematográfica