Memória Cinematográfica

Menu

Federico Fellini x Diablo Cody

Coisas da vida 9 maio 2008

Tem coisas que acontecem e eu simplesmente ignoro. Há outras, porém, que é impossível. Dia desses eu estava twittando e li um post da Diablo Cody, que é viciada neste Twitter, dizendo que ela estava no Canadá e tinha em sua mala um filme recomendado por Steven Spielberg. Então, para surpresa de todos (minha pelo menos), ela joga a pergunta: “Who is this Fellini dude, anyhow?”

Quando li isso, confesso que pensei que ela estava brincando e que em seguida iria soltar uma piada ou qualquer coisa do tipo. Mas não. Ela ignorou e não tocou mais no assunto durante três dias.

Fiquei indignada. Tentei ignorar a moça que, pra quem não sabe, é autora do roteiro do delicado “Juno”, filme que impressionou muita gente por sua simplicidade, mas que cumpre a proposta que teve, já que se trata de uma produção independente de baixo orçamento e muito bem-feito. Embora o Oscar não seja, vá lá, parâmetro para muita coisa, a atriz principal, Ellen Page, foi indicada ao prêmio e a roteirista, sim Diablo Cody, ganhou o Oscar de Melhor Roteiro Original.

Vendo pela criatividade dela, que construiu diálogos pertinentes para o seu público e conseguiu passar a mensagem do filme, parece que ela está no cinema há muito tempo. No entanto, “Juno” é o seu primeiro trabalho.

No IMDB, sua mini biografia diz que Diablo é de Chicago e mudou-se para Minnesota para viver com seu namorado internauta (!), Jonny, que se tornou seu marido. Para ganhar a vida, Diablo era stripper e depois trabalhou como uma espécie de operadora de telemarketing de sexo, ou telesexo, seja lá o que for que ela fazia lá.

Com todo respeito pela profissional, principalmente por sua contribuição ao cinema, não acho que ela poderia debochar de Fellini assim como fez, a não ser que realmente ignore quem seja este cineasta italiano (o que, sinceramente, deveria se informar). Veja bem: foi Spielberg, esse cineasta de “Tubarão”, “ET”, “Munique”, “Indiana Jones”, quem recomendou o filme. Em todo caso, vou acabar com essa crise revendo “Noites de Cabíria” e sonhando junto com a personagem de Giulietta Masina. Vou aproveitar também e pegar o DVD de “8 ½” que ganhei de uma amiga.

Falando de filmes de Fellini, nem me dei conta por que comecei a escrever este texto. Afinal, quem é Diablo Cody?

Mais Lidas

Veja também