Memória Cinematográfica

Menu

E o Oscar foi para…

Oscar 25 fevereiro 2008

De novo, não assisti à premiação do Oscar até o final. Antes de cair no sono, lembro-me que seria divulgado o vencedor de Melhor Fotografia. E, a contar das minhas apostas, acho que fiquei contente com muitos dos premiados, embora o prêmio não reflita necessariamente os melhores do ano (não, na minha opinião).

Estava escrito que o longa-metragem de Joel e Ethan Coen levaria os prêmios principais. Como de fato levou. “Onde os Fracos Não Têm Vez” ficou com Ator Coadjuvante para Javier Barden, Diretor, Filme e Roteiro Adaptado. Eu preferiria que Johnny Depp, por sua atuação em “Sweeney Todd – O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet”, tivesse levado a estatueta, mas depois de ver Daniel Day-Lewis em “Sangue Negro”, dá pra sacar por que não teve pra ninguém!

Embora eu não tenha apostado em Marion Cotillard como Melhor Atriz, no longa “Piaf – Um Hino ao Amor” (confesso que achei que a Academia não premiaria uma atriz que não fosse norte-americana), fiquei muito feliz, seria a minha opção do coração, se eu não tivesse tentado pensar com a cabeça dos membros da Academia, que certamente teria dado o prêmio a Julie Christie, por “Longe Dela”. Marion me emocionou no filme, saí aos prantos da sala de projeção e quero assistir ao filme novamente (acho que ainda está em cartaz no HSBC Belas Artes).

Outro que eu tinha certeza que venceria é a Animação “Ratatouille”. Vi “Persépolis” neste final de semana e gostei, mas não é cinemão como o filme da Pixar, muito mais a ver com o Oscar e com as massas. Nada contra. Aliás, “Ratatouille” é lindo mesmo, mereceu.

Gosto de Tilda Swinton, em “Conduta de Risco”, mas apostei em Cate Blanchett, que disputou o Oscar como Melhor Atriz e Melhor Atriz Coadjuvante. E não levou nenhum dos dois.

Na questão de Roteiro Adaptado, queria que “Desejo e Reparação” tivesse ganhado, mas ficou para o filme dos Coen. Já o Roteiro Original não poderia ser para mais ninguém, senão para Diablo Cody, por “Juno”, este filme que surpreendeu os críticos e também o público.

Fotografia seria ou “O Assassinato de Jesse James pelo Covarde Robert Ford” ou para ““Sangue Negro”, venceu o segundo.

O Ultimato Bourne”, que encerra a trilogia, depois de “A Identidade Bourne” e “A Supremacia Bourne”, ficou com prêmio técnicos, como Montagem, Edição de Som e Efeitos Sonoros. Muito justo.

Sweeney Todd – O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet” levou o prêmio de Direção de Arte (perfeito!), “Elizabeth: A Era de Ouro” ficou com Figurino e “Piaf – Um Hino ao Amor”, com Maquiagem. Não concordo, prefiro “Transformers”, mas o prêmio de Efeitos Visuais foi para “A Bússola de Ouro”. O belíssimo “Desejo e Reparação”, que concorria a sete estatuetas, só levou o de Trilha Sonora. E, embora “Encantada” concorresse à Canção Original com três músicas, o prêmio ficou para “Once”, filme, aliás, que estou ansiosa para ver, mas ainda não tem data de estréia prevista no Brasil.

Confira a lista completa:

Melhor Filme
Onde os Fracos Não Têm Vez

Melhor Diretor
Ethan e Joel Coen (“Onde os Fracos Não Têm Vez”)

Melhor Ator
Daniel Day-Lewis (“Sangue Negro”)

Melhor Atriz
Marion Cotillard (“Piaf – Um Hino ao Amor”)

Melhor Ator Coadjuvante

Javier Bardem (“Onde os Fracos Não Têm Vez”)

Melhor Atriz Coadjuvante

Tilda Swinton (“Conduta de Risco”)

Melhor Roteiro Original

Diablo Cody (“Juno”)

Melhor Roteiro Adaptado

Joel e Ethan Coen (“Onde os Fracos Não Têm Vez”)

Melhor Animação
Ratatouille

Melhor Fotografia
Sangue Negro

Melhor Direção de Arte
Sweeney Todd: O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet

Melhor Figurino
Elizabeth: A Era de Ouro

Melhor Som

O Ultimato Bourne

Melhor Efeitos Sonoros
O Ultimato Bourne

Melhor Montagem
O Ultimato Bourne

Melhor Efeitos Visuais
“A Bússola de Ouro”

Melhor Maquiagem
Piaf – Um Hino ao Amor

Melhor Filme Estrangeiro

“The Counterfeiters” (Áustria)

Melhor Trilha Sonora
Desejo e Reparação

Melhor Canção
Falling Slowly (“Once”), de Glen Hansard e Marketa Irglova

Melhor Curta-Metragem (animação)
“Peter & the Wolf”

Melhor Curta-Metragem
“Le Mozart des Pickpockets” (“The Mozart of Pickpockets”)

Melhor Curta-Metragem (documentário)
“Freeheld”

Melhor Documentário
“Taxi to the Dark Side”

Mais Lidas

Veja também