Subscribe via RSS

Closer – Perto Demais

21 jan 2005

written by Memória Cinematográfica

Nas comédias românticas, quase sempre, o galã se dá bem no final. “Closer – Perto Demais”, longa-metragem que estréia nesta sexta, 21, porém, está longe de ser convencional. Ao contrário. O filme é cheio de cortes, que surpreendem o espectador e oferecem a sensação de um final feliz entre o casal formado por Anna (Julia Roberts) e o jornalista Dan (Jude Law).

Law, aliás, parece ter realmente mergulhado de cabeça em sua profissão. Só entre o ano passado e este, ele apareceu na telona nos filmes: “Capitão Sky e o Mundo de Amanhã”, “Alfie – O Sedutor“, “Desventuras em Série” e, em breve, “O Aviador”, ao lado de Leonardo di Caprio.

Dirigido por Mike Nichols (“Angels in America”), “Closer – Perto Demais” analisa friamente os relacionamentos de hoje, que podem começar com ajuda da internet, ter traições e trocas de parceiros (será assim mesmo na vida real?).

Embora o longa se passe em Londres, o sotaque britânico só é ouvido por Jude Law e pelo médico dermatologista Larry, vivido por Clive Owen. Isso porque Dan encontra a stripper norte-americana Alice (Natalie Portman) durante um atropelamento. Os dois se conhecem melhor e ele escreve um livro sobre a vida da moça.

Para ilustrá-lo, Dan procura a fotógrafa e recém-divorciada, também americana, agora morando na terra do Big Ben. Mesmo mencionando a existência de uma namorada, Dan a beija e depois Anna é apresentada para Alice. Um golpe baixo demais e dolorido, uma vez que Alice descobre que os dois se sentiram atraídos um pelo outro.

O filme não mostra cenas de sexo, mas Anna conta ao seu então marido, Larry, o que fez, como fez e onde fez amor com o amante Dan. A única nudez, embora que não completa, é da stripper.

Os takes de filmagem quase sempre são em close, e os atores chegam perto um do outro. Inclusive durante a exposição sobre Desconhecidos, que Anna realiza e aproveita para apresentar Larry a Dan e Alice.

“Closer – Perto Demais” é baseado na peça teatral “Closer”, de Patrick Marber, que estreou em Londres em 1997, indo depois para a Broadway e encenada em mais de 100 cidades e traduzida para mais de 30 idiomas. Owen, aliás, foi Dan na montagem em Londres.

Em tempo: “Closer – Perto Demais” conquistou o Globo de Ouro de ator e atriz coadjuvantes (Natalie Portman e Clive Owen).

Comentários

O filme realmente me surpreendeu. Não imaginava que assistiria a uma sessão “cheia de conteúdo” e com closes tão perfeitos. As pessoas podem logo achar que é “mais uma peça de teatro que virou filme” — acho que a última a que assisti foi “A Dona da História” — mas o diretor realmente provou que sabe o que está fazendo.

A atuação de Julia Roberts é como ela mesma; Jude Law, sempre charmoso, mas acaba se dando mal. Os novatos Natalie Portman e Clive Owen não só fazem bonito como comprovam a atuação, já que ambos levaram para casa o Globo de Ouro de Melhor Atriz e Ator. Enfim, só indo pro cinema assistir.

 


Leave a comment

© 2024 Memória Cinematográfica